Criando um Pendrive Bootável com Linux NO Linux

Ontem me deparei com um probleminha que me queimou alguns neurõnios e uma boa dose de internet. Para explicar melhor como cheguei na solução, é bom explicar o que estou fazendo:

Estou metido num projeto para passar todas as estações de uma determinada empresa de windows para Linux. Preciso pegar uma máquina piloto, realizar todas as configurações e testes, e criar uma imagem que será replicada nas demais estações. Ok, até aí sem problemas (aham…)

O que acontece é que as estações não possuem leitor de CD/DVD. Pensei então em colocar a ISO do SUSE Enterprise Desktop (que é a distro a ser usada) num pendrive com o YUMI, bootar e ser feliz. Ah, se fosse fácil! Cheguei felizão, colocquei o pendrive na máquina, bootei e… problemas! Não iniciava a instalação pq não encontrava a origem dos repositórios. Ficava no linuxrc.

Fiquei pensando até chegar na decisão de gravar a tal da ISO no Pendrive, já que não tinha leitor nem mídia disponível no local. Após algumas “Googladas” descobri que o UltraISO faz isso sem problemas, mas teria que instalar em uma máquina com Windows, além de comprar a licença de uso. Sem chance. Pesquisei como criar um pendrive bootável com o Linux, mas todos apontam como criar um Live USB com Ubuntu, OpenSUSE, Fedora e afins. Já estava quase indo no setor de helpdesk implorar por um leitor e uma mídia quando encontrei a solução, um programinha chamado unetbootin. Descobri também que o software está nos repositórios padrões do OpenSUSE 11.4.

Agora vamos ver como criar um pendrive bootável com Linux NO Linux (os procedimentos foram realizados no OpenSUSE 11.4)

No Terminal, atualize a lista de repositórios e instale o software, seguindo os comandos abaixo:

# zypper refresh

# zypper in unetbootin

Após o download e instalação, ainda no Terminal, digite unetbootin para que o software seja inicializado:

unetbootin - inicio

Nessa primeira parte podemos escolher uma distribuição listada, ou escolher uma ISO que está no pc. No meu caso, selecionei a opção DiskImage, pois o SLED não consta na lista padrão. Após isso, selecione o tipo de disco que será gravado (USB ou Disco Rígido), e por final, a unidade correspondente (cuidado nessa hora, porra).

Extraindo a ISO para o destino...

Extraindo a ISO para o destino...

Finalmente a ISO será extraida para o destino. Note que nas tarefas acima, o passo 3 cria um setor de boot. Após a cópia, você terá a opção de reiniciar a estação e testar.

Bom, fiz o teste e realmente funcionou, para minha total felicidade. Como disse no começo, o processo realizado pelo YUMI não deu certo, e aqui foi de boa. Percebi depois que o YUMI funciona melhor com distros LIVE (como Backtrack, Ubuntu, Ophcrack e afins), e na hora de um sistema que utiliza uma instalação, ele pode dar uma brecada.

Bom, é isso. Pra finalizar, vou falar que SEMPRE há um software livre que faça os mesmos processos do pago, ou até melhor.

abraços!

Anúncios

One response to this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: